sexta-feira, 4 de março de 2016

Investimento em Marketing em tempos de Crise














terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Como otimizar um vídeo no YouTube

Como otimizar um vídeo no YouTube

Saber como otimizar um vídeo no YouTube é uma das chaves para o sucesso de qualquer tipo de ação neste canal. Seja você uma marca divulgando seus produtos e serviços ou YouTuber monetizando seu canal, se destacar é fundamental.

Da mesma forma que o Google analisa o conteúdo da página de um site, blog ou loja virtual, nos vídeos publicados no YouTube, existe uma série de parâmetros de SEO que precisam ser otimizados para que este vídeo conquiste posições de destaque, tanto nas pesquisas feitas no Google, quanto nas pesquisas internas do próprio YouTube.

Conhecer detalhadamente as técnicas de otimização de vídeos no YouTube é fundamental, tanto para quem quer divulgar uma marca ou produto, quanto para quem deseja ganhar dinheiro no YouTube com a monetização de anúncios do AdSense.

Para ajudar nessa tarefa, listamos abaixo uma série de sugestões para quem quer saber como otimizar um vídeo no YouTube.

Faça seu dever de casa

Como em qualquer ação de SEO, a otimização de vídeos no YouTube é precedida de uma pesquisa minuciosa das palavras-chave que deverão ser trabalhadas, análise da concorrência e estruturação de todos os fatores que fazem parte deste processo.

Tenha sempre em mente que o processo de SEO em vídeos no YouTube de nada difere do processo normal de SEO em páginas de sites, blogs e lojas virtuais, o que muda é a forma e alguns outros parâmetros específicos de arquivos em vídeo.
Título do vídeo

Como dito anteriormente, a otimização de vídeos no YouTube segue o mesmo roteiro da otimização de páginas e por isso comece o trabalho pelo Título do vídeo, que corresponderá à Meta Tag Title.

Em nosso curso de SEO fazemos questão de frisar que a otimização é antes de tudo um processo de comunicação, portanto, além da questão da inclusão da palavra-chave, devemos levar em conta também a comunicação com os usuários.

Do ponto de vista técnico é importante lembrar que é possível inserir até 100 caracteres np Título, mas efetivamente, o YouTube só exibe 55 caracteres, portanto, passe toda a mensagem principal nestes caracteres iniciais.

Tags do vídeo

Outra coisa importante para quem quer saber como otimizar um vídeo no YouTube, é prestar atenção nas Tags do vídeo. Essa é uma característica especial do processo de otimização no YouTube, e a experiência mostra que faz muita diferença no resultado final.

Utilize além das palavra-chave foco do seu processo de otimização, outras palavras que façam parte da nuvem semântica da palavra principal. Essas palavras você já deve ter identificado durante a etapa de pesquisa de palavras-chave mencionada logo no início deste artigo.

Outra dica importante é fazer uma análise da concorrência e verificar quais são as Tags mais usadas para criar logo na largada, uma aderência com os vídeos mais populares dentro do contexto no qual você deseja se destacar.

Descrição do vídeo

Como no processo normal de otimização de uma página, no caso do SEO em vídeos no YouTube você também precisará aplicar as técnicas de SEO na descrição do conteúdo apresentado.

A interface de publicação oferece uma área de 500 caracteres para a descrição do vídeo, mas em termos práticos, o Google só exibirá 70 caracteres em algumas situações internas do YouTube e no snippet do vídeo nas páginas de respostas esse limite está em torno de 96 caracteres.

Lembre-se que também na Description do vídeo devemos alinhar a questão da comunicação com os usuários e as técnicas de SEO.
Transcrição de vídeos

Outro ponto importante para quem deseja saber o passo a passo de como otimizar um vídeo no YouTube é a questão da transcrição do vídeo, que exerce uma forte influência sobre o SEO de um vídeo e que muitas vezes é ignorada.

O texto dessa transcrição é de alguma forma aproveitado pelo algoritmo do Google na hora de classificar o posicionamento do vídeo nas pesquisas internas do YouTube e na atribuição de relevância nas páginas de respostas do buscador.

Você pode fazer o upload dessa transcrição na hora de subir o seu vídeo ou então deixar a cargo do próprio YouTube. O problema é que quando a transcrição é feita pelo próprio YouTube, geralmente surgem alguns erros de português, mas dá para acertar.

Legenda e Closed Caption

Outra dica de otimização de vídeos no YouTube é usar legendas e Closed Captions. Além de ser um recurso de usabilidade que permite às pessoas portadoras de deficiência auditiva, as legendas são lidas pelo Google como textos e por isso, são passíveis de otimização.

É recomendável que você insira sua palavra-chave e Tags utilizadas na marcação do vídeo, nas legendas que você pode adicionar ao seu vídeo. Isso reforçará o conceito de Aderência da Palavra Chave, tão importante no processo de SEO.

Link Building

A última dica para aqueles que desejam saber como otimizar um vídeo no YouTube é cuidar do link building da publicação em seu canal. A divulgação e propagação da publicação são partes indispensáveis do que chamamos de fatores offpage no processo de SEO.

A geração de links e interações é responsável por uma boa parcela da relevância de qualquer publicação que seja submetida ao trabalho de SEO, seja uma publicação em um blog, uma imagem ou um vídeo postado no YouTube.

Divulgue seu vídeo nas redes sociais, incentive a interação no seu canal do YouTube e se possível, use o vídeo em uma postagem em seu blog, disponibilizando o código para incorporação, casa alguém deseje reproduzi-lo ou compartilhá-lo em outro lugar.

Agora que você já sabe como otimizar um vídeo no YouTube, é hora de começar a planejar sua próxima produção e todo o processo de otimização do vídeo.

Fonte: BlogDoEcommerce

A relação dos meios de pagamentos e as lojas virtuais

A relação dos meios de pagamentos e as lojas virtuais

Um estudo realizado pela CyberSource Corp identificou que lojas virtuais que fornecem quatro ou mais métodos de pagamento têm uma taxa de conversão de vendas 12% maior que aquelas que oferecem apenas uma opção de pagamento. Se você está começando seu negócio em ambiente virtual, o mais recomendado são os intermediadores de pagamento como Bcash, Paypal, Mercado Pago, Moip e Pagseguro.

Além da praticidade de implementação, os intermediadores facilitam o processo de recebimento por parte dos lojistas, pois em um único acordo o e-commerce passa aceitar a maioria dos cartões de crédito, boleto e débito em conta.

Na maioria dos casos, os intermediadores de pagamentos ainda se responsabilizam pelo combate à fraude e análise de crédito dos compradores. O ponto negativo é que as taxas são bastante altas, podendo chegar até 10% do valor da venda.

Pagamentos direto com as administradoras

A relação dos meios de pagamentos e as lojas virtuais
Outra alternativa é o lojista fazer seus acordos direto com as operadoras de cartões de crédito – Cielo e Redecard, e utilizar gateways de pagamento como Braspag, Adyen e maxiPago!. O gateway de pagamento facilita a transferência de informações entre a Loja Virtual e a operadora de cartão de crédito.
Nessa modalidade, o lojista paga uma mensalidade pela utilização do gateway e negocia as taxas com as operadoras de cartão. Além disso, ele precisa integrar soluções de antifraude e análise de crédito. Muitas plataformas de pagamento já possuem esses serviços agregados as suas soluções.

As opções acima não são excludentes, ao contrário, são complementares.  O sucesso do seu negócio online depende de vendas. Então, por que deliberadamente diminuir seu potencial de vendas, limitando as formas que clientes podem pagar por seus produtos?

Ferramentas antifraude trazem mais segurança

Para maximizar ainda mais as vendas, garantir uma boa experiência de compra e pagamento para o e-consumidor e ao mesmo tempo proteger o seu negócio, invista em uma boa ferramenta antifraude.

Ao contratar um gateway, não deixe de perguntar se o serviço acompanha sistema antifraude, isso vai garantir que a sua loja virtual concorra com todo o potencial do mercado.

Lembre-se, novamente o sucesso do seu negócio online depende das vendas! Ter a casa em ordem para esses recebimentos é fundamental. Invista!

Fonte: BlogDoEcommerce

4 formas de melhorar as vendas online da sua loja virtual

4 formas de melhorar as vendas online da sua loja virtual

Abrir uma loja virtual é sempre um desafio: começar um projeto novo, muitas vezes sem grandes recursos e dependendo de diversos fatores que até então não faziam parte de seu cotidiano pode assustar muita gente.

Entretanto, é possível fazer com que as vendas atinjam resultados mais expressivos com um mínimo de organização. Veja a seguir como isso é possível e saiba como melhorar as vendas online.

Defina o público-alvo

Ter uma grande quantidade de pessoas visitando seu site é interessante, mas você já parou para pensar que nem todo mundo que visita seu site realiza compras nele? Pior: nem todo mundo que chegou ao seu site tem interesse naquele assunto.

Isso pode acontecer porque toda a sua campanha está estruturada no alcance da divulgação e não na segmentação. Segmentar o público-alvo significa delimitar um perfil ideal de público para quem você direciona a sua comunicação.

Quando você segmenta o seu público, consegue criar conteúdo mais focado em seus interesses, de modo a trazer para seu site somente aquelas pessoas que tem mais propensão a fechar negócio com você. Isso economiza energia e dinheiro, pois você poderá concentrar as mensagens em uma quantidade menor de pessoas, gastando menos com suas campanhas e obtendo resultados mais relevantes.

Ofereça diferentes formas de pagamento

Seu cliente está em seu site, ele está interessado em seu produto e resolve fazer negócio. Mas na hora de pagar, ele confere as opções e percebe que sua loja trabalha com PagSeguro, mas não oferece pagamento via PayPal, por exemplo, o único serviço que ele usa na internet.

Você perdeu uma compra na última hora, simplesmente porque o cliente não tinha como pagar. De que adianta trabalhar com um site que possui bom design, investir numa campanha interessante e oferecer bons produtos com preços viáveis se sua loja perde clientes por não oferecer formas de pagamento compatíveis com as que ele costuma usar?

Procure dar opções a seus clientes. Isso evita problemas como esse.

Trabalhe com sites que comparam preços

Pessoas pesquisam na internet. Mesmo quando pretendem comprar em lojas físicas, elas costumam verificar antes em lojas online para comprar pagando menos. Por isso, surgiram os sites de comparação de preço, que recebem uma grande quantidade de visitas por dia.

Sites como o Buscapé, por exemplo, podem fazer a diferença na divulgação de sua empresa. Quando você oferece produtos por valores mais baixos do que os da concorrência, qualquer consumidor interessado, seja ele de qualquer ponto do Brasil, que pesquisar sobre o produto, chegará até sua loja. Isso pode render muitas vendas.

Além disso, grandes varejistas do mercado estão se tornando marketplaces, oferecendo a você sua plataforma para a venda de produtos. Neste sentido, a Eccosys oferece integração com hub, oferecendo divulgação dos produtos, o que pode aumentar consideravelmente suas vendas.

Trabalhe com vídeos de demonstração

Na página de descrição do produto, procure ter sempre um vídeo disponível para que o usuário confira como o produto funciona e quais são suas maiores qualidades. Isso costuma fazer a maior diferença, pois boa parte dos consumidores precisa de um incentivo final antes de fechar negócio.

Procure por vídeos oferecidos pelos próprios fabricantes no YouTube, por exemplo, e coloque em seu site. Isso alavanca as vendas.

Aposte em estratégias capazes de melhorar o desempenho de sua loja online. Com um pouco de organização e investimento, é possível alcançar resultados incríveis com vendas online e atingir objetivos maiores.

Fonte: EcommerceBrasil

Número de brasileiros conectados aumenta 11,4%

Número de brasileiros conectados aumenta 11,4%

O número de brasileiros que estão conectados à internet subiu em 9,8 milhões de pessoas, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad). Os números divulgados no último dia 13 são da pesquisa realizada em 2014 e apontaram que esse aumento se deve às pessoas de 10 ou mais que acessaram a internet.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ainda indicou que em 2014 o número de pessoas acima de 10 anos portadoras de celular atingiu 136,6 milhões, um aumento de 4,9% em relação ao ano anterior.

Os dados ainda apresentam que a proporção de internautas subiu de 49,4% para 54,4% do total da população residente no país. Segundo a Pnad, a população residente no país em 2014 correspondia a 203,2 milhões de pessoas, o que indica crescimento de 0,9% em relação a 2013. Enquanto a participação de pessoas maiores de 60 anos (13,7% do total) cresceu 0,7 ponto percentual no período pesquisado, o grupo etário até 24 anos teve sua participação (38%) reduzida em 0,8 ponto percentual na comparação com o ano anterior.

No ritmo do crescimento
Acompanhando o ritmo do crescimento, as expectativas para o mercado de e-commerce no Brasil em 2015 eram de um crescimento de 15% a 20%, mesmo sendo um número menor se comparado ao ano passado, os números representam um rendimento de R$ 18,8 bilhões.

A preferência dos consumidores digitais também foi mapeada e 18% das vendas são de produtos de moda e acessórios, seguidos por produtos de saúde e beleza, que correspondem a 16%, e em terceiro, com 11%, itens domésticos. Telefonia celular e computadores foram responsáveis, cada um, por 7% das vendas, e os eletrônicos de consumo aprecem com 6%.

Esse crescimento ainda representa que o mercado online brasileiro permanecerá em décimo lugar pelos próximos três anos, atrás de países como Rússia e Coreia do Sul, numa lista liderada pelo Reino Unido, seguido da China..

Fonte: EcommerceBrasil

Como se preparar para abrir uma loja virtual

Como se preparar para abrir uma loja virtual

Apesar de parecer algo fácil, abrir uma empresa online é mais complicado do que parece. Alguns empreendedores acabam fracassando em detalhes e aspectos simples do negócio, logo no início.

São aspectos que envolvem desde a preparação para a jornada na qual você está prestes a encarar e a energia que você gasta com algumas coisas sem necessidade.

Para aumentar suas chances de sucesso, leia estas dicas compiladas no trabalho que tenho feito com a startup Mandaê, que ajuda muitos empreendedores na parte de logística na hora de começar um e-commerce.

Tenha um plano de ataque
Você não precisa ter um plano de negócios formal, mas ainda assim precisa de um mapa. Parece uma coisa chata, quase como lição de casa, mas não precisa seguir um modelo formal e extenso. Pense apenas que você precisa colocar num papel algumas informações importantes sobre sua empresa: o que ela irá oferecerá, quem são seus clientes, como vocês irá alcançá-los, seus objetivos para o primeiro ano e até quanto dinheiro você tem para realizar isso.

Não gaste energia com coisas pequenas
Sua primeira preocupação deve ser tirar sua ideia do papel e chegar a um ponto em que ela esteja funcionando bem, como colocar sua loja virtual logo no ar. Muitos empreendedores ficam preocupados com detalhes tão minúsculos, que se esquecem do que é realmente necessário para avançar com seu negócio online.

Preocupe-se com o dinheiro
Seja otimista, mas não seja descuidado. Por mais que seu negócio tenha potencial de fazer toneladas de dinheiro, você precisa de uma segurança financeira para começar. Muitos empreendedores se desesperam para encontrar investimentos e crédito porque percebem que não se preparam corretamente nesta área antes de começar.

Valorize seu trabalho
Valorize sua empresa! Lembre-se que você precisa sustentar seu novo negócio, portanto não coloque preços abaixo do necessário para você continuar crescendo.

Atenda bem o cliente
Não há universo mais apressado do que o virtual. Portanto sua empresa online precisa de um SAC ágil e pronto para atender às necessidades de seus clientes. Lembre-se também de monitorar reclamações em redes sociais e sites como Reclame Aqui.

Não ofereça tudo de graça
Oferecer seus produtos ou serviços de graça para conquistar mais clientes no começo pode ser algo tentador, mas a conversão dessas aquisições, principalmente para quem trabalha com serviços, pode ser muito mais difícil no futuro.

Não seja arroz de rede social
Faça uma análise das mídias sociais em que você deve inserir sua marca em vez de sair investindo em todas. Os resultados serão maiores se você se concentrar naquelas com maior potencial no começo.

Tome tempo para selecionar sua equipe
Na pressa de colocar seu negócio no ar, muitos empreendedores acabam contratando novos funcionários sem avaliar se eles são realmente adequados para cada posição. Lembre-se de encontrar as pessoas certas para cada uma das posições disponíveis dentro da sua empresa.

Dedique-se
Algumas vezes, no começo, você terá de fazer sacrifícios para fazer sua empresa ir para frente. Não se esforçar para que isso aconteça poderá significar o fracasso de tudo.

Construa seu website com o SEO em mente
O SEO (Search Engine Optimization) é algo importante para todos os sites, incluindo lojas virtuais. Muitos dos seus novos consumidores irão aparecer no seu e-commerce por meio de portais de pesquisa como Google ou Bing. Por isso você precisa tomar alguns cuidados, como colocar todas as páginas principais guiadas por palavras-chaves e URLs que sejam otimizadas para busca. Seus produtos também se beneficiarão se forem cadastrados com tags específicas.

Disponibilize um sistema de pesquisa e filtros
Se encontrar o site é importante, encontrar o produto exato é ainda mais importante, portanto construa uma loja virtual que possua um sistema de pesquisa interno eficiente, assim como filtros – por preço, marca, tamanho, data de lançamento, cor – que facilite ainda mais a busca dos clientes. Isso fará com que eles comprem e retornem mais.

Tire vantagem das redes sociais
Elas estão aí e funcionam como um dos principais referenciais para os clientes chegarem a sua loja virtual. Crie perfis nas redes que seus clientes ou clientes potenciais usam e as use de forma a propagar sua marca de forma valiosa. Divulgue conteúdo que possa interessá-los, críticas de seus usuários, mudanças no seu serviço e, claro, promoções.

Invista em anúncios pagos
Muitas redes sociais e o próprio Google oferecem opções de anúncios pagos que podem ajudar a encontrar novos consumidores logo no começo ou até mesmo atingir aqueles públicos novos para diversificar. Lembre-se que se você estiver começando e o orçamento ainda for pequeno, precisa usar essa alternativa com parcimônia e se atentando para o direcionamento que dará para cada anúncio.

Fonte: EcommerceBrasil

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Saiba como o WhatsApp pode otimizar o seu atendimento

Saiba como o WhatsApp pode otimizar o seu atendimento

Você já pensou em utilizar o WhatsApp no atendimento da sua empresa? Não há dúvidas que para a comunicação pessoal o aplicativo é bastante útil. Ele é usado por mais de 900 milhões de pessoas no mundo, segundo reportagem do G1. Pensando nas suas funcionalidades, no fato de permitir uma comunicação rápida e direta com o público, por que então não usá-lo para interagir e oferecer suporte aos consumidores?

Apesar de já ser usado por algumas empresas, essa tática ainda não se popularizou. Portanto, poderá ser um diferencial importante para o seu negócio perante a concorrência. Logo, há bons motivos para você acompanhar este artigo. Vamos mostrar as melhores práticas e quais as vantagens de usar o WhatsApp no atendimento ao público. Confira:

Enriqueça seu atendimento

A vantagem do WhatsApp é que você pode trabalhar com um suporte que vai além das palavras faladas de uma ligação e das escritas de um chat comum. Aproveite os recursos do aplicativo para trocar imagens, vídeos e áudios na mesma conversa e na mesma plataforma.

Por exemplo, se um cliente não consegue explicar com facilidade o defeito em um produto comprado em seu e-commerce, ele pode gravar um pequeno vídeo ou mandar fotos do problema. A solução pode ser repassada da mesma forma, enviando a forma de conserto ou indicando a melhor maneira para o comprador efetuar uma troca ou devolução.

Ofereça respostas práticas

Uma característica da comunicação no WhatsApp é a sua fluidez, composta por troca de mensagens curtas e breves. O motivo para sua empresa economizar nas palavras e no conteúdo é simples: muitas pessoas costumam utilizar o aplicativo andando na rua, no transporte público, trabalhando ou fazendo alguma outra tarefa.

Em muitos casos o tempo de atenção dedicado ao aplicativo é curto. Portanto, procure ter uma resposta em curto período de tempo, isso demonstra atenção e preocupação com os problemas do consumidor; e que seja breve, sendo prático para que o cliente tire suas dúvidas/resolva suas necessidades sem enrolações.

Crie um contato para cada tipo de atendimento

O básico para utilizar o WhatsApp no atendimento é ter um smartphone com o aplicativo instalado. Mas para facilitar a sua vida, e caso você tenha recursos para isso, o ideal seria contar com um smartphone dedicado a cada tipo de contato com o público.

Por exemplo, você pode criar um contato para reclamações, trocas e devoluções; outro para suporte e solução de dúvidas; ou até mesmo um para troca de informações, conteúdos e ofertas.

Se a sua equipe for pequena e não der conta de vários canais, tente englobar tudo em um contato só. Formar grupos para troca de conteúdos e solução de dúvidas pode ser uma boa. Para reclamações os grupos devem ser evitados, pois insatisfações compartilhadas podem gerar uma péssima imagem para o seu e-commerce.

Uma boa dica é usar o WhatsApp Web. Assim, você pode atender os clientes da sua agenda no computador, o que agilizaria muito mais o suporte.

Forme um banco de dados

Para quem usa o WhatsApp no atendimento esse é um dos grandes desafios. O aplicativo não é e nem pode ser integrado, por exemplo, a uma ferramenta de CRM onde você possa compilar as informações do atendimento.

Nesse caso, deve-se criar um banco de dados próprio ou passar para o CRM manualmente os feedbacks dos atendimentos feitos no WhatsApp.

Só faça contato com pessoas cadastradas

Normalmente os clientes de um e-commerce fornecem o número de telefone e, por vezes, autorizam o contato da empresa com ele pelo smartphone/celular. Para quem ainda não é um comprador, o ideal é não forçar um contato.

Crie formulários para que as pessoas possam preencher ou divulgue o seu número de WhatsApp em seus canais de comunicação (site, redes sociais, blog, cartão etc.)

A vantagem de usar um aplicativo de troca de mensagens instantâneas para interagir com o cliente é uma tendência que acompanha o comportamento de um consumidor mais exigente. É um consumidor que busca interagir e ter um feedback mais rápido das empresas. Em um e-commerce esse fator possui ainda mais importância, pois quando não há uma loja física, é preciso oferecer um SAC que seja mais conveniente para o público.

A cobertura e a rapidez são os dois grandes fatores-chave que valorizam o uso do WhatsApp no atendimento. Você acredita que a utilização desse tipo de aplicativo pode melhorar seu atendimento? Compartilhe sua opinião conosco e curta a Fan Page do Moip no Facebook para acompanhar nossas novidades e trocar uma ideia com a gente.

Fonte: Moip

5 dicas para otimizar suas descrições de produtos

5 dicas para otimizar suas descrições de produtos

Em um e-commerce, em que não há contato direto entre vendedores e clientes, saber elaborar boas descrições de produtos é fundamental para chamar a atenção dos consumidores e ter mais chances de fechar as vendas.

No artigo de hoje vamos oferecer algumas dicas que podem contribuir para otimizar as descrições de seus itens em sua loja virtual. Quer saber quais são elas? Continue conosco e confira agora mesmo:

1. Utilize a criatividade

Uma das formas mais eficazes de chamar a atenção dos clientes pelas descrições de produtos é inovando e usando formas diferentes de apresentá-los. Além disso, com criatividade é possível apresentar de forma diferenciada e única, o que acaba dando uma característica especial à sua loja virtual.

2. Descrição objetiva

Mesmo com criatividade, é importante ser objetivo e apresentar exatamente aquilo que o cliente deseja saber. Ainda que seja utilizada uma abordagem diferente para apresentar o item, é preciso se lembrar de expor as características e os principais benefícios que ele proporciona.

Além disso, evite utilizar blocos de texto. Isso torna a leitura cansativa e, como a internet é um meio muito dinâmico, pode acabar fazendo com que o cliente desista e procure outras páginas.

3. Evite utilizar as informações do fabricante

Normalmente as informações publicadas pelos fabricantes são mais técnicas e dizem respeito às características dos produtos. Utilizar essas descrições pode acabar tornando o produto desinteressante, dependendo do perfil do seu cliente. Portanto, procure saber quais são as preferências dos seus consumidores e utilize uma linguagem condizente com esse público. É possível disponibilizar o link da publicação do fabricante caso deseje fornecer informações mais técnicas – dessa forma suas descrições de produtos ficam mais completas.

4. Saiba usar as palavras-chave

Saber utilizar bem as palavras-chave aumenta consideravelmente as suas chances de posicionar melhor a sua loja virtual no ranking dos buscadores. Um ponto que pode auxiliar bastante na elaboração das palavras-chave durante a descrição é utilizar o nome da marca e/ou o modelo dos produtos – caso sejam conhecidos e muito procurados na internet.

Saiba quais são os 4 erros de SEO que podem acabar prejudicando o seu e-commerce!

5. Promova os produtos

É importante ter sempre em mente que, além de descrever as características dos produtos, são essas apresentações que ajudarão a vendê-los. Portanto, ao selecionar o tipo de informação fornecida, procure elaborar descrições que ajudem a promover e a vender os itens para os clientes – uma excelente forma de fazer isso é apresentando os benefícios em vez de informar as características.

Como podemos ver, ações simples são capazes de otimizar suas descrições de produtos e contribuir para chamar a atenção de seus consumidores, tanto nas buscas na internet, quanto na hora de pesquisar em sua loja virtual. Portanto, se quer se destacar da concorrência, aposte em descrições exclusivas, bem elaboradas e com uma linguagem voltada para o seu público alvo!

O que você achou do nosso artigo de hoje? O que você leva em consideração na hora de elaborar as suas descrições de produtos? Quer contribuir com mais alguma dica que não foi citada no texto? Aproveite os comentários e nos deixe saber quais são suas opiniões sobre o assunto!

Fonte: Moip

6 lições que o Black Friday deixa para o setor de e-commerce

6 lições que o Black Friday deixa para o setor de e-commerce

A oportunidade dos consumidores de conseguir grandes descontos e das lojas de turbinar os lucros fez do Black Friday desse ano o mais lucrativo da história. De acordo com o ClearSale, site que monitorou o faturamento e fraudes no evento, o Black Friday 2015 gerou cerca de R$ 1,5 bilhão em faturamento, porém, não necessariamente garantiu a satisfação do consumidor. Segundo o site Reclame Aqui, mais de 4.400 reclamações foram relatadas, principalmente relacionadas ao mau funcionamento dos sites.

Dentre os principais problemas relatados, destacam-se a falta de produtos e serviços oferecidos (indisponíveis na hora da compra), e sites com falhas técnicas. As lojas não podem mais falhar no momento em que os usuários mais precisam delas. Isso não só pode ocasionar uma queda brusca nas vendas, mas também na reputação – algo ainda mais difícil de recuperar.

Sendo assim, de que forma as lojas virtuais devem agir para garantir um bom desempenho em seu site mesmo com as altas demandas causadas pelas grandes promoções e épocas de vendas? Confira algumas dicas do especialista para o melhor funcionamento do seu site:

Evite atrasos – Faça testes desde o começo e com frequência

Não espere até que os aplicativos ou sites estejam em funcionamento para testar seu desempenho. Através de testes planejados você poderá encontrar defeitos ou problemas com antecedência e minimizar os custos de recuperação – isso porque possíveis defeitos podem ser até 100 vezes mais caros para serem corrigidos no final do desenvolvimento do software do que no começo.

Saiba o efeito de qualquer tamanho de carregamento 

Qual é o volume máximo de tráfego que um sistema pode lidar? Não ter essa informação pode se tornar desastroso para o negócio, mas muitas empresas de e-commerce acreditam que só há uma forma de descobrir – construindo um ambiente de teste. No entanto, há uma opção alternativa, as empresas podem utilizar para a execução de um teste um sistema baseado em nuvem para simular cenário reais – como pedidos e vendas para milhares de usuários a partir de diversas localizações geográficas.

Teste múltiplas plataformas e dispositivos

Os clientes irão usar vários tipos de dispositivos e plataformas para acessar as informações, e é vital que sua loja virtual  esteja acessível e possua um layout responsivo para smartphones, tablets e/ou desktop. É preciso testar o desempenho de seu site para web móvel e para o máximo de plataformas possíveis.

Entenda as necessidades de cada região

Como parte da estratégia de testes de desempenho, estar preparado para atender várias regiões e tipos de rede é importante. Fazer um teste focado em um alto tráfego originário de um país ou estado, ou a partir de um tipo específico de conexão como operadora 3G, é importante para aumentar a experiência do usuário final em todos os mercados.

Encontre a raiz de um problema

Encontrar os problemas de desempenho não é suficiente, você precisa encontrar as causas. Como parte da solução, ferramentas de diagnóstico que permitam localizar de forma eficiente as causas dos problemas de desempenho (mesmo em momentos de pico), irão permitir que você faça correções mais rápidas, reduzindo os ciclos de teste e acelerarando o tempo de colocação no mercado.

Soando o alarme

Embora o teste de desempenho frequente ajude a evitar problemas em um momento de pico, é importante estar por dentro de qualquer incidente. O monitoramento do site deve incluir a notificação de uma falha de qualquer natureza. Isso significa receber um alerta sobre um problema em poucos minutos. Uma boa estratégia de monitoramento deve incluir atualizações diárias e relatórios que ajudem a determinar onde ocorreu um problema para impedir que isso aconteça novamente.

Fonte: EcommerceBrasil

7 maneiras de não perder dinheiro no Facebook

7 maneiras de não perder dinheiro no Facebook

Ainda existe muita dúvida sobre a melhor forma de investir em anúncios no Facebook, especialmente de pequenas empresas que precisam de resultados mais rápidos, mas por falta de planejamento acabam perdendo dinheiro. Pensando nisso, criei uma lista com as principais atitudes que devem ser tomadas por quem deseja investir da melhor maneira em anúncios na rede social.

1- Tenha planejamento e clareza
Antes de mostrar quem você é no Facebook, é preciso ter certeza de quem você é. Para anunciar na rede social, é preciso que a empresa tenha bem estabelecida sua missão, seu público e o objetivo a ser alcançado nesta mídia. Para segmentar corretamente nos anúncios, você precisa saber pra quem quer vender.

2- Cinco reais por dia
O valor mínimo a ser anunciado no Facebook pode ser um ótimo ponto de partida, além da garantia de investimento baixo. Como os anúncios podem ser mudados conforme os resultados que geram, e considerando que, no começo, a maioria dos empresários é reticente a gastar muito, sugiro que aproveitem ao máximo o que o Facebook tem de melhor, que é a possibilidade de conseguir ótimo retorno com pouco investimento. Entre tantos exemplos, uma pousada que conseguiu 100% de reservas com R$46. Quando os anúncios estiverem indo bem, aí você aumenta o investimento conforme seus planos.

3- Mensure o engajamento e o desempenho
Quem anuncia tem acesso à ferramenta Facebook Insights, que oferece informações completas sobre as publicações impulsionadas, indicando o alcance orgânico e o que foi conquistado pelo investimento, assim como a interação dos usuários – pessoas que clicaram, curtiram ou compartilharam o conteúdo. Também é possível ver quantos clicaram para visitar a sua página, quantos novos fãs a página ganhou e até mesmo quantos usuários não gostaram do anúncio ou “descurtiram” a página. É importante que as mudanças de estratégia sejam feitas sempre conforme os dados apresentados.

4- Defina o objetivo do anúncio
Além de “impulsionar uma publicação” já criada como postagem da sua página, existem outras formas de anúncio no Facebook. A principal fonte de renda da rede social vem por meio destes anúncios, eles facilitam ao máximo. No entanto, há outras formas de anúncio que devem ser estudadas conforme o objetivo da empresa. O gerenciador de anúncios do Facebook oferece a possibilidade de conseguir novas curtidas para a página, no caso de a empresa precisar aumentar sua base de fãs, mas também oferece formatos para gerar tráfego para a página, conversões em vendas, instalações de aplicativos, e outros. O uso de imagens chamativas de qualidade é tão importante quanto o texto bem escrito.

5- Replique e escale o que deu certo
Imagem, texto, segmentação e tipo de anúncio são algumas das variáveis que contribuem para o sucesso ou fracasso de um anúncio. Nem todos os tipos de anúncio podem funcionar, por isso é necessário acompanhar diariamente o desempenho deles. O que não dá resultado deve ser cancelado, e o que trouxer mais cliques, visitas e vendas deve ser mantido, replicado em outros momentos. É importante valorizar aquilo que dá resultado.

6- Faça Remarketing
Outra estratégia importante para anunciar no Facebook é fazer o remarketing, ou seja, anunciar a quem já se interessou pela sua marca. Uma das opções é usar o Remarketing Nativo, que é possível na hora de personalizar o público alvo do anúncio. É possível criar listas de pessoas que se interessaram por um produto do e-commerce ou que visitaram o site da empresa, caso haja um pixel de remarketing instalado no site. Também é sempre possível anunciar apenas para quem já curtiu a sua página”.

7- Monitore: você não está livre de problemas
O lado ruim de ter acesso direto ao que os consumidores dizem é que eles podem falar coisas negativas sobre a sua marca. É um pequeno ônus diante do lado positivo de estar nas redes sociais. Afinal, as pessoas já estão lá, e vão falar da sua marca de qualquer forma, portanto o melhor a fazer é colocar sua marca na rede social e lidar com isso de forma positiva. As empresas precisam ter planos para responder a possíveis crises, e devem não apenas monitorar o que é dito, como responder o mais rápido possível a perguntas e outras demandas dos clientes.
Fonte: EcommerceBrasil

Cinco dicas para ser mais competitivo neste natal

Cinco dicas para ser mais competitivo neste natal

O Natal é, de longe, a data mais importante para comércio virtual brasileiro. Em 2015, a expectativa é movimentar R$ 6,7 bilhões, com 24 milhões de pedidos, de acordo com a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico). Com números positivos, é natural que os lojistas se preocupem com a preferência do consumidor. Para se destacar e atrair mais compradores, o lojista online pode utilizar alguns recursos importantes. Confira:

Precificação inteligente – o preço é crucial para o comércio eletrônico, atraindo ou afastando os clientes da loja. Esta solução permite que o varejista mantenha os melhores preços para cada produto e venda com rentabilidade.

Monitoramento de frete – outro aspecto que influencia o consumidor durante o processo de compra é o frete, prazo de entrega, valor e modalidades e, neste cenário, torna-se primordial ao gestor do e-commerce que monitore as politicas de frete praticadas pelos seus concorrentes sendo possível visualizar a forma de atuação em cada categoria, as opções de envio, regiões e até mesmo a concessão de frete grátis.

Política de parcelamento – ter acesso as politicas de parcelamento praticadas pelos principais players de seu segmento, trará informações valiosas tais como: quantidade máxima de parcelas com ou sem juros bem como taxas de juros praticadas em cada categoria. Assim, é possível oferecer uma estratégia de parcelamento competitivo sem que venha a comprometer o fluxo de caixa do e-commerce.

Produtos similares – alguns setores, como moda, cosméticos e smartphones, precisam comparar produtos similares, ou seja, itens que não são da mesma marca, mas possuem especificações semelhantes. O acompanhamento de produtos similares permite avaliar a disponibilidade em estoque e a evolução do preço médio.

Análise de sortimento – com ele, o empresário descobre mais a fundo o que pratica seu concorrente, como as marcas comercializadas, a categorização de produtos e ofertas, a quantidade de artigos por categoria e até o preço médio dos itens – sempre na comparação com o mix de produtos da sua loja virtual.

Fonte: EcommeceBrasil

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

4 dicas para transformar visitas em conversões

4 dicas para transformar visitas em conversões

Um dos principais desafios do e-commerce é transformar as visitas da loja virtual em conversões, ou seja, fazer com que o visitante se torne um cliente constante. A média de conversão atual gira em torno de 1%, mas pode variar de acordo com o segmento; vale a leitura do nosso artigo: “Vamos falar um pouco mais de conversão?”.

Diante disso, confira dicas para aumentar as conversões de sua loja virtual, e tornar seus consumidores mais frequentes:

Conceda descontos para compras. É comum encontrarmos lojas virtuais que utilizam esse recurso para incentivar a primeira compra do cliente. Contudo, a segunda negociação é igualmente importante, pois mantém o consumidor sempre presente. Por isso, invista também no incentivo às compras recorrentes.

Ofereça frete grátis. Quando o assunto é conversão, o frete grátis é um grande aliado dos lojistas, pois atrai o cliente. Oferecer frete grátis para a primeira compra ou a partir de um determinado valor, além de aumentar as conversões, aumentará o ticket médio. Outra opção, também, é possibilitar a retirada do pedido na loja física, sem cobrar nada do consumidor.

Invista na credibilidade da loja virtual. Apenas oferecer descontos e frete grátis, não será o suficiente para aumentar as conversões, porém, estes fatores combinados à uma loja confiável, um layout profissional e fácil usabilidade, os efeitos nas vendas serão claramente maiores.

Priorize um bom processo de pagamento. O checkout é o momento mais importante da negociação. E, por isso, este deve ser impecável no sentido de segurança, credibilidade e facilidade. Dessa forma, certifique-se de trabalhar com parceiros de pagamento que ofereçam um processo clean e intuitivo para seu consumidor.

Vale lembrar que cada visita significa um potencial cliente dentro de sua loja virtual. Portanto, analise essas dicas, aplique-as em sua loja e conquiste seu consumidor. Sucesso!

Fonte: EcommerceBrasil

Um novo tipo de propaganda: o Marketing no Facebook

Um novo tipo de propaganda: o Marketing no Facebook

As mídias sociais crescem cada dia mais. Com isso, a utilização delas para publicidade e marketing digital tem se tornado uma ótima ferramenta de estratégia para as empresas. A rapidez, a praticidade e as vantagens que as plataformas digitais oferecem são capazes de trazer muita visibilidade, retorno e benefícios para as marcas, principalmente, o marketing feito no Facebook.

O Facebook é hoje a rede social  mais popular e acessada do mundo inteiro. São 1,55 bilhões de usuários ativos, sendo que 1 bilhão visita a mídia social pelo menos uma vez ao dia.

O Brasil é considerado o segundo país do mundo com a maior taxa de usuários novos por mês e já atinge a marca de 90 milhões de pessoas inscritas. De acordo com relatórios divulgados pela própria mídia social, as propagandas divulgadas no Facebook são as mais vistas na web, ganhando até do Google. Por isso, não é difícil concluir que o Facebook pode ser um outdoor maravilhoso para os seus anúncios.

Para gerenciar o marketing no Facebook a maioria das empresas costuma procurar agências especializadas em marketing digital e que sabem cuidar da sua reputação na internet. Os resultados costumam surpreender positivamente.

Eu mesma já atendi diversos clientes que procuravam, através do Facebook, aumentar a visibilidade positiva da sua marca e estreitar relacionamentos com os clientes. E o retorno do investimento foi muito bom em todos os casos, assim como mostra um estudo realizado pelo Facebook: De 60 campanhas feitas na mídia social, 49% das empresas aumentou o lucro retorno por 5 vezes mais o custo por anúncio.

Os motivos para pensar nesse tipo de investimento são vários. Buscarei citar neste artigo alguns que considero os principais e que mais chamam atenção das empresas.

Primeiramente é preciso destacar que a publicidade é feita de forma segmentada e personalizada. Os anunciantes conseguem atingir grupos específicos de acordo com seus interesses e necessidades. Filtram o público que será atingido de acordo com a idade, interesses pessoais, localidade, etc. O que é ótimo, pois anúncios que são direcionados para um público personalizado são 387% mais propensos a serem falados entre os colegas de trabalho, amigos e familiares, ainda de acordo com estudo do Facebook.

Outra possibilidade é criar uma página de fãs. Dessa forma é possível criar um engajamento e um relacionamento que contribuam para uma boa construção da marca e lealdade do público. É possível, através de textos, fotos e vídeos, oferecer promoções especiais, promover novos produtos, campanhas publicitárias, atualizações sobre novos serviços, além de criar eventos e convidar os clientes. Além disso, no Facebook, a mensagem que a sua empresa passa é descontraída e cativante, o que faz com que o público-alvo interaja de maneira positiva.

Um fator que também deve ser destacado é que os usuários do Facebook oferecem um engajamento maior com o público. Afinal, eles visitam o site não apenas para consumir informação, mas também para criar conteúdo. Isso resulta em uma taxa de retenção mais elevada, que melhora a visibilidade dos anúncios. Além disso, as campanhas on-line pelo Facebook podem atingir seu público por um preço bastante acessível. Existe uma grande quantidade de pacotes, que variam o preço de acordo com quantas pessoas você pretende alcançar. Os valores podem variar muito e se encaixar nos mais diferentes tipos de orçamento.

Mais um ponto interessante: a capacidade maior de atingir usuários de smartphones. O Facebook possui o app para dispositivos móveis e é acessado por cerca de 800 milhões de pessoas por dia através dos celulares. Isso significa que o anunciante não só tem a capacidade de atingir pessoas em seus computadores, mas em qualquer hora ou lugar.

Para completar, o Facebook fornece aos anunciantes dados completos de quantas pessoas visualizaram seu anúncio, além de informações gerais sobre eles. Dessa forma, a mídia social ajuda os anunciantes a entenderem melhor quais tipos de anúncio chamam mais a atenção, qual é o publico atingido, etc.

Trabalhar o Marketing no Facebook além de trazer novos clientes para a sua empresa faz com que você conheça melhor, identifique e atinja o seu público-alvo da maneira mais apropriada. Tiro certo e hoje, quase que necessário, para todas as empresas que querem se destacar no mercado.

Fonte:EcommerceBrasil

4 Dicas para otimizar suas campanhas de frete no seu e-commerce

4 Dicas para otimizar suas campanhas de frete no seu e-commerce

A grande preocupação por parte dos lojistas é terminar no azul em um ano marcado pela crise na economia. Para isso, precisam aproveitar o canal e tentar rentabilizar ao máximo a oportunidade que este dia representa. Consumidores querem aproveitar a data para fazer boas compras, porém a insegurança de ter o produto em casa, dentro do prazo previsto pelas lojas, ainda é preocupante e é um dos elementos que podem comprometer a experiência de compra e, em última análise, os resultados do seu e-commerce.

Mesmo com cenário econômico bastante desfavorável, a expectativa é positiva para o e-commerce brasileiro. Segundo o levantamento realizado em agosto deste ano pela E-bit, empresa especializada em informações do comércio eletrônico, com duas mil pessoas, 80% dos entrevistados afirmaram que desejam comprar algo durante a Black Friday. Dos 20% restantes, 15% justificaram que a instabilidade econômica no Brasil é o fator determinante para não gastarem nesta data, e outros 5% não souberam opinar.

Muitos consumidores aproveitam a data também para garantir o presente de Natal, mas muitos não arriscam por receio de que as compras não cheguem antes das festividades. E é aí que entramos no tema do frete. Os donos dos e-commerces ou gestores destas lojas virtuais precisam se atentar para a entrega e para oferecer a melhor opção de frete a seus clientes. Pensando nisso, listei alguns itens importantes sobre o assunto:

1. Prazos De Entrega Das Transportadoras

É importante verificar com as transportadores o prazo de envio dos produtos. Reforce o compromisso com as transportadoras de cumprirem os prazos combinados. É frequente nessa época que as pessoas comprem os produtos já pensando no Natal ou que precisem que o mesmo seja entregue rapidamente. É importante que seja feito monitoramento do processo completo até a conclusão da entrega, dando todo o suporte e atendimento, deixando o cliente por dentro do deslocamento do seu produto como também caso ocorra possíveis imprevistos e atraso com a mercadoria, avisar o cliente proativamente é essencial. É interessante que as lojas virtuais tenham também como possibilidade o alargamento de prazos no frete. Isso pode ajudar na diminuição do custo do SAC no futuro, impedindo reclamações sobre as experiências dos consumidores e desgastes na sua loja em sites especializados.

2. Cuidado Com As Campanhas De Fretes Grátis

As campanhas de fretes grátis precisam ser bem acompanhadas e bem medidas de forma que não ocorra qualquer prejuízo para sua loja. Com o grande número de ofertas, aumenta a competitividade e por isso muitos e-commerces deverão oferecer o frete grátis aos seus clientes, mas nem sempre é a melhor opção e, se não bem planejado, pode ocasionar prejuízos para o lojista. É necessário que haja uma análise detalhada antes de definir as campanhas de frete para vender com qualidade.

3. Não Se Limite Somente A Uma Transportadora

É interessante sempre ter mais de uma opção de transportadora para trabalhar, para que não haja problemas nos envios dos produtos e acúmulo de itens a serem enviados pela sua loja. Esteja sempre com transportadoras que, além de cumprir com o tempo de entrega estipulado, se preocupam também com as condições em que o produto chegará ao destino. Isso é fundamental tanto para a loja quanto para o consumidor.

4. Confira Os Preços Dos Fretes De Sua Loja

É importante verificar se todas as tabelas de frete das transportadoras estão corretamente implementadas ou devidamente atualizadas para não apresentar ao cliente preços e prazos erroneamente. Valores incorretos do serviço podem gerar prejuízos e até mesmo perda de vendas. Se o frete estiver abaixo do valor do custo da transportadora, um grande volume de compras com esse problema pode incorrer em perdas significativas.

As lojas precisam atender todas as exigências do consumidor e garantir a integridade do seu serviço, da venda atrativa à entrega do produto no prazo estimado. Um serviço bem prestado, com preço justo, entrega garantida e frete assegurado são elementos que fidelizam clientes e representam várias operações de sucesso.

Fonte: NextCommerce

Cai o número de reclamações na Black Friday

Cai o número de reclamações na Black Friday

A Black Friday deste ano começou a reduzir o estigma de “Black Fraude” que a megaliquidação ganhou nas últimas edições por causa das falsas promoções. De 10h de quinta-feira até 19h de sexta, foram registradas 3.716 reclamações no site ReclameAqui. No ano passado, no período todo do evento, das 18h de quinta-feira até às 24h de sexta, o site tinha recebido 12 mil queixas, mais que o triplo.

Os dados da Fundação Procon de São Paulo também apontam para a mesma direção. Das 19h de quinta-feira até as 18h de sexta, o órgão de defesa do consumidor realizou 973 atendimentos. No ano passado, no período inteiro do evento foram 1.356 atendimentos. “Acredito que as coisas tenham melhorado”, disse ontem a diretora executiva do Procon-SP, Ivete Maria Ribeiro, antes de ter os números fechados do evento. Ela contou que houve três reuniões com as 38 empresas participantes para reforçar o compromisso com a veracidade da promoção e foi feito até um manual dando dicas para o consumidor não cair em armadilhas.

Apesar da redução no número de queixas, os motivos das reclamações continuam os mesmos. Em primeiro lugar está maquiagem de preço, com 44% das queixas segundo o Procon, seguida pela indisponibilidade de produtos (20%). A empresa mais reclamada, de acordo com o órgão de defesa do consumidor, foi a B2W, dona dos sites de comércio eletrônico Submarino, Shoptime e Americanas.com. Procurada, a B2w não se manifestou.

Fonte: NextCommerce

Vendas da Black Friday no Brasil atingem R$1,53 bi

Vendas da Black Friday no Brasil atingem R$1,53 bi

As vendas online da Black Friday somaram 1,53 bilhão de reais, salto de 76 por cento sobre 2014, quando as liquidações da última sexta-feira de novembro atingiram em 872 milhões de reais, informou a ClearSale, em parceria com o BuscaDescontos, organizador da BlackFriday.com.br.

Segundo a ClearSale, que afirma ser a principal empresa do país em solução antifraude, o resultado – que considera as vendas na sexta-feira, ficou em linha com o esperado para este ano. Foram realizados 3,122 milhões de pedidos ao preço médio de 492 reais, enquanto no ano anterior foram 2,092 milhões de encomendas, a um valor médio de 416 reais. Eletrodomésticos lideraram os pedidos com um faturamento de 370,8 milhões de reais, seguidos por celulares (327,9 milhões de reais), eletrônicos (240,2 milhões de reais) e informática (146,9 milhões de reais).

No Estados Unidos, a Black Friday teve poucas comemorações este ano, conforme os descontos oferecidos pelos varejistas norte-americanos em produtos eletrônicos, de vestuário e outros presentes falharam em atrair grandes multidões às lojas e shoppings.

Fonte: NextCommerce

Montar uma loja virtual grátis vale a pena?

Montar uma loja virtual grátis vale a pena?

Muitas pessoas querem iniciar no comércio eletrônico sem fazer grandes investimentos, primeiro querem ver se esse negócio de internet dá dinheiro, e só depois investir em um e-commerce. Para fazer isso essas pessoas acabam procurando formas de montar uma loja virtual gratuita. Lojas gratuitas não são totalmente gratuitas, você não paga nada, ou paga uma taxa muito baixa para colocar o seu produto lá e esperar até ele ser vendido, cada venda que você faz, precisa pagar uma porcentagem sobre o produto vendido. Porque uma loja virtual totalmente gratuita não existe.

Por exemplo, na LikeStore onde você pode vender dentro de uma Fanpage do Facebook, você paga a taxa de 2% sobre produto vendido, mais a taxa do MoIP que é de 3,49% para débito e boleto e 5,90% para crédito, mais R$0,69 por transação. Já na Enjoei, uma lojinha para você desapegar de tudo que não aguenta mais, você paga uma taxa de 20% do valor do produto vendido, e ainda tem um desconto de R$2,15 que é o valor da taxa de anúncio, se você optar por seguro do frete, esse valor também será desconto do valor da sua venda.

No Mercado Livre, marketplace mais conhecido da internet, as taxas são muito variáveis, depende do tipo de anúncio que você quer fazer, do tipo de exposição, confira neste link como funcionam as tarifas do Mercado Livre. No Elo7 marketplace de artesanato, para cada venda realizada é descontada uma taxa de 12% do valor total do pedido, neste valor já está incluso as taxas do pagamento. Como você pode perceber montar uma loja virtual grátis nem sempre vale a pena.

Em alguns casos o valor recebido pode demorar até 30 dias úteis para ser creditado para o vendedor, então é bom antes de colocar seus produtos para vender em uma plataforma gratuita, ler todos os termos e condições. Todas as letras miúdas, qualquer informação é relevante. Depois de ler tudo, certifique-se de que você entendeu e não restou nenhuma dúvida, e só então depois disso avalie se colocar seu produto para vender numa plataforma gratuita vale a pena.

Se você optar por ter a sua própria loja virtual, veja que você precisa de alguns pontos básicos, este post tem todas as informações para montar loja virtual, e pode te ajudar neste trajeto. São ferramentas e estratégias que você precisa definir antes de tirar a ideia do papel. Da mesma forma que quando você coloca seus produtos em plataformas gratuitas, você não fica rico do dia para noite. Até você vender o primeiro pedido pode demorar algum tempo.

Montar uma loja virtual grátis vale a pena se você tiver paciência e vender produtos online não for sua fonte principal de renda, e sim um dinheiro extra. Se você quer ganhar dinheiro com uma loja virtual, você deve estudar os custos de ter a sua própria loja virtual, com domínio, plataforma, sistema de pagamentos e tudo mais que for necessário.

Existe uma plataforma de código livre, o Magento, você pode fazer o download sem custos e configurar sua loja virtual sem custo nenhum, porém, se não tiver conhecimentos de programação vai precisar contratar alguém que faça isso, e acaba não sendo tão gratuita assim.

Como você pode perceber ganhar dinheiro não é de graça e você precisa pagar para que as coisas aconteçam. Cada plataforma gratuita é voltada para um tipo de produto, agora se você compra produtos direto do seu fornecedor e quer vender pela internet, escolha lugares com menores taxas e melhores condições, sem esquecer que você sempre pode ter a sua própria loja virtual.

Fonte: NextCommerce

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

5 estratégias de vendas para e-commerce no Natal

5 estratégias de vendas para e-commerce no Natal

Estamos próximos do Natal, uma das épocas onde o comércio mais fatura devido a compra de presentes, objetos para decoração, vestuário e alimentação.

Diversas pesquisas de mercado já confirmaram que o investimento em publicidade aumenta consideravelmente no fim de ano, o que apresenta uma excelente oportunidade para você investir em marketing digital de maneira que ele aumente o número de suas vendas.

Contudo, toda campanha requer uma estratégia:

1. Promoções

Nada atrai mais um consumidor do que as tão desejadas promoções, principalmente quando elas surgem nesse período onde os gastos costumam subir. É importante analisar o mercado, observar quais são os produtos mais procurados do momento e com base nisso, analisar o preço da concorrência.

Oferecer um bom preço, descontos ou parcelamento exclusivo, é certamente o diferencial perfeito para quem quer se destacar nessa época. Lembre-se de que essa é a característica mais importante a ser evidenciada na sua campanha.

2. Remarketing

O remarketing é indispensável nesse período e ele precisa ser trabalhado de maneira incisiva. É bastante comum que o usuário acesse determinados produtos nessa época do ano, principalmente se tratando de compras de presentes, contudo nem sempre a compra é feita de primeiro momento, afinal, ele cogita outras opções, outros preços e outras lojas; é nesse momento que o remarketing entra em ação! Seu anúncio precisa estar sempre no campo de visão, pois no momento que o consumidor sair da etapa de decisão e entrar na etapa de compra, é o seu produto que precisa ser comprado!

3. E-mail Marketing: antes e durante.

A taxa de abertura de e-mail marketing nessa época são altas. Por se tratar de uma festividade e uma data com apelo emocional elevado, trabalhar um conteúdo que converse com o emocional do consumidor é a primeira regra.

O envio frequente desse tipo de e-mail, costuma induzir o comprador a adquirir determinado produto, e faz com que ele se sinta envolvido pela “magia” que o Natal proporciona. A estratégia vale também durante o processo de compra, onde muitas vezes a mesma não é concluída; enviar um e-mail marketing relembrando o usuário que ele ainda não terminou de efetuar a compra do “presente especial para alguém especial” também pode obter uma boa performance.

4. Anúncios Interativos

Se Natal é a época mais mágica do ano, apostar em anúncios interativos, divertidos ou emocionantes é um insight certeiro. Além de tudo, a conversão é praticamente garantida. Selecione seu público, segmente suas campanhas e interaja com seu público.

5. Comunicação Emocional

Como citados em alguns pontos anteriores, por se tratar de uma época com um apelo emocional tão elevado, sua campanha de Natal precisa ter a linguagem mais humana e fraternal possível. Embora seu objetivo seja aumentar suas vendas, mais do que seus produtos, é necessário que você consiga vender sentimentos, lembranças e bons momentos.

É imprescindível utilizar de estratégias de marketing emocional que converse diretamente com o seu consumidor, que o induza a compra de uma maneira positiva e prazerosa. Lembre-se, isso também se torna uma estratégia para fidelização; uma vez que ele se sinta acolhido, sempre irá comprar com você.

E sua loja? Já iniciou a campanha de Natal para 2015?

Fonte: EcommerceBrasil

Bater metas? Sim, mas planejar 2016 com certeza

Bater metas? Sim, mas planejar 2016 com certeza

Já chegamos na reta final de 2015 e nessas últimas semanas as empresas focam todos os seus esforços em bater as metas. Mas, não se engane. Tão importante quanto cumprir os objetivos é dedicar este tempo, também, para planejar o próximo ano. Pensar nas ações sempre foi importante, mas, em tempos de economia instável, é crucial e pode determinar a diferença entre o sucesso e o fracasso.

É preciso definir bem o objetivo macro da companhia para o período e, com base nisso, arquitetar todas as ações e iniciativas importantes para chegar lá. E esse planejamento deve ir muito além da definição de orçamentos para áreas e iniciativas. É preciso pensar a estratégia de atuação da empresa – sempre levando em consideração variáveis como as previsões econômicas, por exemplo.

Se sua companhia oferece produtos e serviços, comece o planejamento com um balanço. Avalie aplicar uma pesquisa de satisfação, mesmo que seja apenas com alguns poucos clientes-chave. Ninguém melhor para avaliar suas ofertas do que quem as consome. Esta é a melhor forma de descobrir pontos de melhoria, avaliar erros e programar como corrigi-los no ano que vem.

Outro ponto importante é analisar, também, o clima interno. Empresas de sucesso trabalham com um tripé fortalecido formado por pessoas, tecnologia e processos. Estas três bases devem sempre seguir as crenças e valores da companhia. Só com esse alinhamento e alto nível de qualidade será possível garantir suporte para uma trajetória de sucesso. Um ambiente estimulado oferece mais possibilidades para boas ideias e ações proativas. O autor Jim Collins, considerado uma das referências quando o assunto é gestão, diz que muitas organizações acreditam em atalhos e não têm paciência para construir algo grande. Lapidar talentos faz parte do caminho.

E sobre os processos da companhia? Sua empresa realiza muitas tarefas manualmente? É um desperdício de tempo e, acima de tudo, de inteligência. Planeje automatizar o maior número de procedimentos possível. Só assim sua equipe poderá focar em ações mais estratégicas e contribuir para o crescimento da organização. E, acredite, este é um investimento que realmente vale a pena. Focar em seu core business deve ser o principal objetivo sempre.

Pensando nesta linha é importante avaliar terceirizar, por exemplo, sua infraestrutura de tecnologia da informação. Esse aporte é igualmente eficaz pois proporciona redução considerável de custos no médio e longo prazo. Lembre-se sempre: tudo o que não for o core business da sua companhia pode e deve ser delegado à especializadas. Só assim sua equipe será cada vez mais estratégica. E times mais focados trazem resultados mais expressivos.

Pontue acertos, erros, imprevistos e avaliações de 2015. Este é o começo de um bom planejamento. Depois arregace as mangas e descubra como aperfeiçoar tudo isso. Mas não deixe de envolver sua equipe. Pessoas engajadas caminham melhor em direção da meta quando são envolvidas desde o momento zero.

Fonte: EcommerceBrasil

Natal: que comecem os preparativos!

Natal: que comecem os preparativos!

O Natal é uma das principais datas comemorativas não apenas no Brasil mas em todo o mundo. E graças à tradição de presentear pessoas queridas nessa época, torna-se também uma excelente oportunidade para ganhar visibilidade e gerar vendas.

Com as festas natalinas à vista, você já pode começar a preparar o seu e-commerce através de estratégias online e offline para direcionar suas campanhas e promover seus produtos. Confira algumas sugestões:

– Otimize a sua estrutura

Comecemos pelo básico: a própria loja virtual. Você não deseja que as pessoas desistam de comprar por não se adaptarem ao seu site, certo? Antes de gerar visitas e vendas, é preciso certificar-se de que sua página conta com todos os recursos necessários para receber bem os potenciais clientes.

Questão fundamental: sua plataforma está preparada para o pico de tráfego? Vale a pena entrar em contato com a sua equipe de suporte (seus desenvolvedores ou consultores, caso conte com um serviço oferecido por terceiros) para discutir as possibilidades de capacitar melhor os servidores.

Outro ponto crucial é o checkout. Com a agitação típica da época, o ideal é que a compra pelo seu e-commerce seja o mais eficiente e simples possível. Analise se os passos de compra são claros e intuitivos, se o layout colabora para uma boa experiência via desktop e mobile e se os dados estão visíveis e precisos.

Uma boa ideia é convidar um conhecido a navegar pelo seu site e fazer uma compra de teste, observando como ele interage com as funcionalidades, suas dificuldades e dúvidas.

– Crie sua própria celebração

Com a estrutura preparada, chega a hora de elaborar um “ambiente natalino”. Considerando o conceito da sua marca, defina de que maneira o seu e-commerce irá participar das festas de Natal – ou seja, qual será o seu posicionamento de marketing.
Você pode começar pela identidade visual: que tal criar uma versão especial do seu logo, incluir um banner ou adicionar uma pequena mensagem no rodapé? Decore a sua loja virtual da mesma maneira que faria com uma loja física, transformando pequenos detalhes para que remetam à data.

É interessante também personalizar suas embalagens: com base em seu volume mensal de vendas, produza pacotes ou mesmo adesivos diferenciados. Caso seja mais viável, incluir um cartão com desejos de boas festas já pode ser suficiente para demonstrar atenção e consideração pelo seu consumidor.

E não se esqueça das suas redes sociais! Atualize suas imagens e textos para que acompanhem a abordagem do seu site: crie capas comemorativas e faça chamadas que convidem as pessoas a conhecerem seu e-commerce. Por que não fazer sugestões de presentes para amigos e familiares a partir dos seus produtos?

– “Presenteie” seu público

Por fim, chegamos talvez ao principal ponto responsável pelas conversões: os benefícios que a sua loja virtual oferecerá aos clientes. Afinal, não basta se preparar visual e estruturalmente sem contar com algo que seja diretamente vantajoso para o seu consumidor. Há dois elementos bastante certeiros para essa estratégia: o preço dos produtos e do frete.

O primeiro deles é sem dúvida o de maior destaque. Você pode oferecer descontos em produtos pontuais, como os mais populares ou de maior estoque, ou progressivamente em toda a loja (10% em uma categoria, 30% em outra e assim por diante). Outra possibilidade é disponibilizar cupons de desconto via e-mail ou redes sociais para que sejam utilizados nos itens que o cliente preferir.

Aproveitando as confraternizações de final de ano, pode ser interessante também criar conjuntos de produtos e vendê-los por preços inferiores à soma dos valores individuais. Defina tipos de clientes específicos e agrupe opções que se complementam, como “kit para mães de primeira viagem” ou “pacote completo do torcedor de time X”, por exemplo. Seja criativo e pense no que você gostaria de ganhar.

O segundo grande incentivo para as compras é a redução do preço do frete. Converse com sua empresa parceira sobre a possibilidade de arcar com uma parte dos custos para cada região, afim de diminuir o valor final e facilitar a situação do seu cliente. Caso seja possível oferecer frete grátis em toda a loja ou em determinados produtos, melhor ainda.

Tudo certo?

“Com ações simples mas bem direcionadas, seu negócio terá muito mais chances de atrair e conquistar consumidores no Natal – para conhecer mais estratégias, você pode conferir este e-book gratuito sobre o tema ou este vídeo. Não se esqueça também de preparar seus canais de atendimento para a demanda. Mãos à obra e boas vendas!”

Fonte: EcommerceBrasil